Hérnia de Disco

A hérnia de disco é uma lesão que ocorre com mais frequência na região lombar. Essa doença é a que mais provoca dores nas costas e alterações de sensibilidade para coxa, perna e pé. Aproximadamente 80% das pessoas vão experimentar a dor lombar em algum momento de suas vidas. A localização mais comum da hérnia de disco lombar é no disco que fica entre a quarta e quinta vértebra lombar (L4/L5) e no disco que fica entre a quinta vértebra e o sacro (L5/S1).

Na maioria dos casos, os sintomas melhoram naturalmente com três meses, mas podem ser auxiliados com tratamentos clínicos e fisioterapêuticos. Mesmo o paciente se sentindo bem sem tratamento, é importante que ele faça um programa de tratamento voltado para a funcionalidade normal da coluna e para o seu fortalecimento. As pesquisas mostram que após os primeiros sintomas de dores nas costas, os músculos que protegem a coluna vertebral começam a ficar fracos e atrofiados.

É importante saber que essa doença não tem cura. Geralmente as pessoas melhoram da dor, voltam a ter uma vida normal na maioria das vezes, porém os medicamentos não devolvem a funcionalidade nem fortalecem os músculos que ficaram fracos com a doença, por isso tantas ocorrem tantas dores recorrentes na coluna vertebral.

Surgimento da Hérnia de Disco

A palavra “hérnia” significa projeção ou saída por meio de uma fissura ou orifício de uma estrutura contida. O disco intervertebral é uma estrutura fibrosa e cartilaginosa que contém um líquido gelatinoso no seu centro, chamado núcleo pulposo. O disco fica entre uma vértebra e outra da coluna vertebral. Esse anel fibroso, quando fissura ou está desgastado, permite que o líquido gelatinoso que está mantido no seu centro realize uma expansão ou abaulamento da sua estrutura e também pode se extravasar.

Quando esse fenômeno ocorre em pequenas proporções, chamamos protusão discal. Se a lesão no anel fibroso que mantém o núcleo for grande, o líquido contido no núcleo poderá sair para o meio externo e, quando isso acontece, o disco poderá diminuir de volume, achatando-se. Por isso, chamamos de hérnia de disco. Dependendo do local da saída desse “gel”, o paciente poderá sentir fortes dores ou não. Com esse conceito, fica claro que o importante é saber qual é a localização da hérnia de disco, e não o seu tamanho.

Tratamento

O tratamento Fisioterapêutico consiste em Tração Mecânica para aumento do espaço intervertebral e Estabilização Segmentar que objetiva a recuperação da contração conjunta e antecipada da musculatura do transverso do abdômen, multífido e fáscia tóraco-lombar, que agem como uma cinta interna, como diafragma e os músculos do assoalho pélvico. A Estabilização Segmentar se divide em quatro estágios respeitando os princípios do aprendizado motor.

No primeiro são isoladas e treinadas as musculaturas da unidade interna sem carga. No segundo estágio treina-se a musculatura da unidade interna diminuindo a base de sustentação (ainda isolada, mas começando a associar com movimentos dos membros). No estágio seguinte, é efetuado o controle da musculatura da unidade interna associando movimentos funcionais.

Finalmente, no quarto estágio, integram-se os músculos da unidade interna e unidade externa (músculos globais) nos movimentos funcionais adicionando velocidade com funcionalidade”. Nesses procedimentos é utilizada uma unidade pressórica idealizada para a estabilização segmentar e também o eletromiógrafo de superfície.

Este artigo foi relevante para você?

Nossos fisioterapeutas estão prontos para tirar as suas dúvidas, use o Whatsapp para perguntar o que quiser sobre o seu diagnóstico.

Clique acima para abrir o Whatsapp agora!

Compartilhe com seus amigos:

Comentários