Denomina-se de Lombalgia, o conjunto de manifestações dolorosas que acometem a região lombar, decorrente de alguma anormalidade nessa região. Conhecida popularmente como dor nas costas, a lombalgia é uma das grandes causas de morbidade e incapacidade funcional, tendo incidência apenas menor que a cefaléia entre os distúrbios dolorosos que mais acometem as pessoas. De acordo com vários estudos epidemiológicos, de 65% a 90% dos adultos poderão sofrer um episódio de lombalgia ao longo da vida, com incidência entre 40 e 80% da maioria das populações estudadas.

Causas

Existem diferentes fatores que desencadeiam a lombalgia. Contudo, a questão postural está entre os principais fatores de risco. Hábitos incorretos de postura ao deitar, sentar ou realizar qualquer atividade do dia a dia, no trabalho e lazer podem acarretar em malefícios à coluna. Mas outros fatores também podem ser apontados como causas para o desenvolvimento da lombalgia. É o caso de inflamações, hérnias de disco, artrose, sedentarismo, obesidade, fatores genéticos, envelhecimento e até questões emocionais.

Sintomas da Lombalgia

Os sintomas mais comuns da lombalgia são citados como uma dor lombar, que corresponde à região mais inferior da coluna vertebral, pouco acima das nádegas, na altura da cintura. Apresenta-se geralmente de começo discreto, com intensidade aumentando progressivamente e agravando com a mobilidade da região. Acompanha comumente a estas situações, algum grau de contratura muscular.

As crises dolorosas geralmente apresentam-se em um ciclo de dor que duram alguns dias, podendo em alguns casos tornar-se constante ou desaparecer, retornando depois de algum tempo.

Durante a crise dolorosa, a permanência em alguma forma de postura, seja sentado ou em pé, provoca o aparecimento da dor. A persistência dos sintomas ocasionalmente passa a ser um fator extremamente limitante sob o ponto de vista social, afetivo ou profissional, gerando grandes distúrbios secundários, como os de ordem emocional.

Em termos etiológicos, a lombalgia é um processo eminentemente clínico, onde os exames complementares devem ser solicitados apenas para confirmação da hipótese diagnóstica.

Tratamento para Lombalgia

Na fase aguda de Dor (até 06 dias de dor) o tratamento consiste em repouso, analgésicos e fisioterapia analgésica. Após o sétimo dia de dor, inicia-se o trabalho de reforço muscular (estabilização segmentar).

Principais técnicas utilizadas no tratamento:

Mesa de tração : Quando indicada, a mesa de tração computadorizada possibilita uma descompressão com cargas controladas.

Estabilização Vertebral:  Também é utilizado no nosso programa o equipamento Stabilizer. É um aparelho simples destinado a registrar as alterações e pressões que permitem detectar o movimento da coluna e suas compensações durante o exercício. Com esse equipamento, podemos implantar o programa de estabilização segmentar vertebral que preconiza fortalecer os músculos que protegem a coluna. Em especial, dois músculos: o transverso abdominal e os multífidos.

Técnicas de fortalecimento muscular:  O fortalecimento muscular trabalha uma musculatura essencial para a proteção da coluna, composta pelos músculos estabilizadores (transverso do abdômen e multífido lombar).

 

Mais informações: https://fisioclin.com/pro-coluna-vertebral/

 

 

Este artigo foi relevante para você?

Nossos fisioterapeutas estão prontos para tirar as suas dúvidas, use o Whatsapp para perguntar o que quiser sobre o seu diagnóstico.

Clique acima para abrir o Whatsapp agora!

Compartilhe com seus amigos:

Comentários

Av. Santos Dumont, 744, Jundiaí • Anápolis, GO​

Fisioclin © 2018 • Feito com Pyqui